DGERT   APCER
Relações de compromisso
» Imprimir | Enviar »

Resultados do Projecto SONAR

16-10-2015

No âmbito dos projectos cofinanciados pelo programa COMPETE, o consórcio SINFIC e INOV desenvolveu entre 2011 e final de 2014, uma solução colaborativa de monitorização da evolução do estado clinico do utente, com especial foco para os doentes crónicos (diabéticos, obesos e cardíacos). A solução está alicerçada nas diretrizes do eHealth, disponibilizando ferramentas para suporte a dinâmicas proactivas de interação médico-doente, com responsabilidades partilhadas, para a prevenção de eventos clínicos, promoção de hábitos saudáveis e fomentar o envelhecimento ativo.

Face à visão definida para o projecto e desenvolvida posteriormente pelas equipas, identifica-se como principal desafio endereçado a especificação e desenho de um sistema configurável pelo utilizador final, que permitisse simultaneamente cumprir com a especificidade técnica da área clinica. A complexidade técnica foi acrescida pelo facto de termos que atender aos diferentes papéis que o utilizador final pode assumir: médico, enfermeiro, utente e administrador de sistema; o que implicou a implementação de mecanismos de orquestração de processos e fluxos de informação.

Ao nível das especificações técnicas concretizaram-se 4 (quatro) grandes desafios que fizeram a diferença na solução final:

  •  Desenhar e especificar um motor de regras que permitissem aos utilizadores funcionais construir e automatizar a execução de regras de negócio, utilizando uma interface gráfica, para dotar o SONAR de um papel activo na relação profissional saúde – utente, a partir dos eventos de risco identificados;
  •  Concepção de uma interface gráfica adaptável a dispositivos móveis, com padrões de usabilidade que permitissem a massificação do sistema junto dos utilizadores (em especial, os utentes) sem apoio e/ou formação;
  •  Fazer o acompanhamento do evento em todo o seu ciclo de vida, podendo associar diferentes eventos entre si, mantendo a rastreabilidade individual de cada um. Complementarmente, foi definida a tipificação dos eventos e os mecanismos de orquestração dos fluxos de informação entre actores ;
  •  Concepção e desenho de uma metodologia para a Gestão da Execução do Plano de Acompanhamento do Utente, e avaliação do impacto das acções prescritas no plano sobre a evolução do estado clínico do utente.

Desde o início do projecto definiu-se também que toda a arquitectura seria orientada a serviços disponibilizados na web e agnóstica em termos sistemas operativos, motores de bases de dados e browsers.

Para a estabilização da arquitectura e para a selecção da tecnologia a utilizar no desenvolvimento do software, as equipas técnicas da Sinfic e do INOV trabalharam de forma próxima para definirem a metodologia de desenvolvimento de software e selecionar as tecnologias a utilizar. A titulo de exemplo, foram incorporadas as seguintes tecnologias:

  •  Interfaces - KendoUI, ANGULARJS, SPRING, JavaScript, JointJS, Bootstrap;
  •  Componente servidor - MySQL, Java, Hibernate, Drools.

A avaliação e teste do software cumpriu com as melhores práticas de Verificação e Validação de software, tendo sido submetido a um ciclo iterativo de testes e melhorias, até atingir um nível de qualidade superior a 85%; meta estabelecida para a entrada em produção do piloto. Para a implementação deste piloto foi selecionada uma IPSS da região norte de Portugal, por dispor de um universo de utentes representativo de todas as faixas etárias. O piloto apresenta já dados recolhidos para um período superior a 6 meses, envolvendo cerca de 100 (cem) utentes, 6 (seis) cuidadores e 2 (dois) profissionais de saúde.

A implementação do piloto envolveu entre outras, as seguintes actividades:

  •  Levantamento dos utentes e identificação do universo alvo para o piloto;
  •  Recolha dos valores das medições dos últimos 3 (três) anos desse grupo de utentes, e transposição do papel para o sistema;
  •  Ensaio de um leque de sensores para avaliação da sua adequação face ao contexto da IPSS e do grupo de utentes;
  •  Identificação e definição dos eventos a monitorizar pelos 2 (dois) perfis da IPSS, a saber: profissional de saúde e cuidador;
  •  Instalação, configuração e disponibilização do SONAR nas instalações da IPSS;
  •  Realização de acções de formação nas instalações da IPSS, suportadas pelos respectivos materiais formativos.

A execução deste piloto permitiu à equipa melhorar a sua sensibilidade para algumas dificuldades de implementação do software no terreno, tanto em termos técnicos como de usabilidade; tendo permitido construir um roadmap de suporte para o futuro desenvolvimento do software, com vista à sua produtização e posterior comercialização. Para apoiar este percurso, temos vindo a realizar também demonstrações do software aos nossos parceiros, avaliando do seu interesse em representá-lo e aproveitar também para recolher os seus contributos para a melhoria do mesmo.

Ao longo deste projecto foram realizadas acções de disseminação em contexto europeu nomeadamente em eventos do EUREKA Tourism na área do Turismo de Saúde, bem como a nível nacional junto de 2 (dois) hospitais e uma segunda IPSS de dimensão nacional. Finalmente, realizou-se o evento de disseminação global do projecto, que decorreu em Leiria, no dia 10 de Julho de 2015, onde contamos com a presença de parceiros e convidados, para a apresentação dos resultados alcançados ao longo de quase 3 (três) anos de trabalho. 



« Voltar
Pesquisa
Agenda
Destaques